quarta-feira, 30 de abril de 2008

O problema do mais ou menos

Assuntos mal resolvidos f"e"dem o mundo.

- Eu meio que disse.. E ele entendeu tudo errado! (Vai dizer que você nunca pensou “Mas se eu tivesse talvez sido mais clara, ele poderia ter agido diferente, nós poderíamos estar..” ??)

Quase dizer ou dizer mais ou menos é além de dizer nada, dar (muito) pano pra manga. Se você mais ou menos disse que está caindo de saudades dela e que na verdade ainda não tirou o porta-retratos da sua escrivaninha, só que "não bem nessas palavras" pode crer, na verdade você passou a mensagem que você já a esqueceu, está em outra, mas como é muito maduro, quer manter uma boa relação amigável com ela. Aí passam-se os dias e você ainda pergunta por que ela sumiu?

Uma frase quase completa, ou seja, mal feita, não surte o efeito desejado. E além da frustração de não dizer o que você queria ter dito, ainda terá que descobrir o que exatamente a outra pessoa pensou sobre. E depois tentar remediar o que disse. E depois, se você constatar que o estrago foi grande, ah meu caro... Aí é só administrar a raiva por, mais uma vez, ter deixado tudo em meias palavras.

A velha tática do “vou dar umas indiretinhas pra ver se ela(e) se liga” NÃO DÁ CERTO. Pelo menos pra mim não dá. Se você diz: “Não quero ir à festa porque está frio e é longe demais” querendo dizer “Ahh amooorrr, vamos ficar vendo um filminho? Eu estava querendo fazer isso hoje, estava com saudades suas!” Eu certamente direi “Então ta amor, qualquer coisa me liga, te amo! E ligarei pra algum amigo que vai, e irei. E você ficará em casa pensando que eu sou uma grossa que não te ama mais, que meu ex que você odeia estará lá, que eu não sou mais a mesma, ficará me atazanando pelo telefone etc etc. Ou, no máximo de discrição possível, não emitirá um único comentário pra mim nesta noite, mas outro dia a cara de bunda estará instalada sob sua face. Aí é discussão na certa.

Se você quer dizer: “Me dá atenção” Diga: “Me dá atenção?!?!?!” e não fique emburrado no canto de um sofá, monossilábico, trocando de canal compulsivamente (isso é super desagradável não?), só pra me encher o saco. Já que isso obviamente será início de (outra) discussão.

Quer se declarar pra ele? Se declare oras! A modernidade está ótima pra isso. Orkut, MSN, celular estão aí! Vai, dois cliques sobre o nome do escolhido e já é meio caminho andado. Você nunca vai saber, se você nunca tentar, DIREITO! E o direito significa com todas as palavras.

Terá que ser grosso? Seja. Terá que ser amável demais? Seja também. Confidenciar seu maior segredo? Vai fundo. Pelo menos a resposta será legítima e sobre o que você realmente quer. Senão você terá uma meia-quase resposta, e isso não vale, de nada.

Todos possuem cargas emocionais diferentes logo, as mesmas frases ditas para pessoas diferentes causam reações diferentíssimas.

E isso diferencia, tudo!

Um comentário:

Fred Mitne disse...

Hummmmmmmmm.. isso é um problemão.. passei por isso a pouco tempo atrás... a comunicação com um delay de idéias... tipo.. o que eu quero agora... ela quer no futuro... o que ela sente agora, ela quer viver amanhã... o que eu vivo agora... são os planos dela sim.. mas só que agora nããããooo... hahahahahaha...

Ela falou mais ou menos... eu entendi tudo... quis realizar... "botar pra quebrar".. sabe??? mas de repente, escutei a agulha da vitrola arranhar o vinil... "opa... perai aih!!!"...
não foi bem isso que eu queria dizer.. vc me entendeu mau querido(hahahahahaha... adoro quando me chamam de querido... funciona com um "chega pra lá")... ái escutei passos de um ladrão que sai correndo com um "candy" na mão... e uma criança chorando com o rosto melecado pelo doce roubado...

buuuuuuuuuuááááááá...

mais ou menos.. na visão masculina... é menos!