domingo, 22 de junho de 2008

A ocasião – definitivamente – não faz o ladrão.

Quem o faz é ele mesmo. Esse tipo desde sempre está se construindo. Desde lá de trás o sujeitinho nutre uma vontade de fazer porcaria. Ele só precisa de um momento, alguns segundos para ter em quem colocar a culpa.

Não, não é porque você foi chifrado pela ex que tem que começar a pegar geral.
Não, não é porque você nasceu na favela que tem razão em ser trombadinha.
Não, não é porque você não teve atenção do seu pai que vai começar a fumar maconha ou andar de preto ou pintar o cabelo com remédio pra cavalo.

Vagabundos não são construídos. No máximo eles estão dormentes. Mas sempre existiram.

Não, o problema não está naquele lugar, nem na sua vizinha, nem no carro que você não tem ou na viagem que você não fez. O problema está aí. Aí dentro de você. Aquela ferida não curada, aquela pedrinha que você não conseguiu tirar do seu sapato. É ela que te faz botar a culpa num lado, no outro, ou lá longe... De você, o grande culpado.

Não bote a culpa nas circunstâncias. Elas não têm nada a ver com isso, afinal, elas existem pra todo mundo e sempre vão existir. E não é por isso que o mundo tenha que virar um ôbaôba só.

Realmente a vida não é sempre linda e realmente não é sempre que tudo que vai acontecer como gostaríamos. Todo mundo um dia cai de cara em algum lugar. Todo mundo já foi ou será enganado, terrivelmente ferido. Todo mundo já perdeu algo ou muitos desse. As suas encolhas tem sempre metade das chances de dar certo, é assim pra mim, pra você, pro padeiro e pro resto do universo.

Problema na vida é não ter o que comer, não ter onde dormir e não ter saúde. Isso faz as pessoas saírem do normal, perderem a cabeça e chutarem o pau da barraca. Isso sim é desculpa pra algo. Isso tem o direito de nos afetar. E só isso.

O resto não. Definitivamente não.


A ocasião faz a pessoa, como ela quiser ser.

Nenhum comentário: