segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Decifrando os fundos

Se você parar e pensar, a maioria dos nossos “estresses” estão divididos em dois grandes grupos: os de fundos modificáveis e os de fundos não-modificáveis. Annalisemos:

PROBLEMAS DE FUNDO MODIFICÁVEL:

- Problemas conjugais: o par está enchendo muito o saco? Já é a décima vez que vocês discutem pelo mesmo motivo? Ele ainda não parou de ser grosso? Ela ainda não parou de dar piti na frente dos seus amigos? Termina e deu pra bola! Simples assim. Como diz a música: “Há tantas pessoas especiais”! Imagina se a gente parasse na primeira paixonite, que tragédia não seria?
- Amigos. Descobriu que te traíram? Falaram mais que deviam? Contaram seu maior segredo? Te fizeram de idiota em praça pública? Delete no safado!
- Os seus costumes. Passou do peso ideal e está se sentindo mal? Bebe e faz fiasco? Não tem amigos? Muda oras! O começo é difícil, mas depois todo mundo pega o jeito. A não ser que você tenha 2 anos e precise sempre que alguém te dê as coisas, ninguém pode mudar algo em você, a não ser você mesmo.


PROBLEMAS DE FUNDO NÃO-MODIFICÁVEL

- As 24h do dia. É fato. 24 horas, nem mais e nem menos e sempre será assim. E não adianta esmurrar a parede, contente-se com este número.
- O tempo. Está chovendo? Está chovendo! Tá frio? Tá frio! Calor? Calor! Xingar São Pedro não adianta. Agora o couro do sapato já manchou e a piastra já desmoronou. Compre um guarda-chuva ou prenda o cabelo. There’s no other way!
- O passado. O que passou, passou! Sim, você disse aquilo, fez aquilo e deixou de fazer aquilo outro. Se quiser gaste alguns minutos se desidratando no travesseiro, mas tenha em mente que isso não mudará nada o que já se foi. Quanto menos tempo perder lamentando o passado mais sobra para o presente e para o futuro.
- O pensamento dos outros. Não adianta discutir, gritar, bater com a cabeça do ser na parede, trancá-lo num porão escuro e úmido ou utilizar torturas japonesas. Ninguém muda se não quiser mudar, é fato. E se algum dia alguém quiser mudar, mudará com ou sem o seu consentimento.

Independente do fundo, a maior parte dos conflitos do dia-a-dia é facilmente contornável. E pare de complicar tudo sempre, isto o torna desagradável às vezes. A vida não é e nem é para ser complicada. Todos merecemos ser viventes e não sobre-isto, não esqueça ;)

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

MQEM - Retificação.

Eu achei que se a pessoa tivesse lido alguma coisa do meu blog além deste polêmico tópico, entenderia o que eu quis passar com ele. Não sei se a culpa foi minha em não ter usado as melhores expressões ou se o povo é que é lerdinho mesmo.

Não, eu não disse que o cara “ideal” tem que ser grosso e mal educado. Eu disse que o cara ideal, pra mim, tem que ter todas as diferenças normais que existem entre um homem e uma mulher. Homem é homem e mulher é mulher.

O que eu queria dizer com meu escrito era apenas que o meu homem não é metrossexual, nem gay(por questões óbvias), nem punk, nem dorme-sujo, nem goiaba, nem contador de historinhas, nem um completo babaca.

Sim, o MQEM abre a porta do carro, espera a mulher passar na frente, fala com o garçom, manda flores, mensagens, liga porque estava com saudades. Fala “com licença” e diz obrigado, não é espalhafatoso, sabe se comportar e não come de boca aberta. Mas continua torcendo pelo Figueira, não usando Victoria Secret de morango com champagne e adorando aquele churrascão de domingo com o pessoal.

Para bom entendedor meia palavra basta. Pro mau será que a retificação dá conta?

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

MQEM – versão feminina

Agora que todos aprenderam a diferença do MQEM, homem comum e homem só na certidão, está na hora de identificar os tipos de mulheres. Assim como os homens, as mulheres se dividem em 3 grandes grupos:


 Mulher goiaba (não, ela não é uma variação da mulher melancia)
 Mulher errada (contendo as subdivisões: mulheres ogras, mulheres só na certidão e as, digamos, “mulheres espetaculosas” - para não baixar o nível do blog)
 MulherQueÉMulher (para não existir confusões será chamada de MM – Mulher-Mulher)



Vamos aos fatos:

MM além de gostar de flores acha a coisa mais romântica receber flores! Não precisa necessariamente ser as tradicionais rosas vermelhas, mas flores e MM têm tudo a ver, sempre!!! “Ui que coisa brega” – Mulher ogra!

MM anda sempre com as unhas bem cuidadas. Não importa a cor do esmalte, as unhas sempre têm que estar em ordem! E isso nunca é penoso pra a MM, isso é prazeroso!

MM adora andar cheirosa. Perfume, talco, sabonete ou creminho. Não importa a fonte, o cheirinho tem que estar lá!

MM não discute em público. MM lava a roupa onde esta tem que ser lavada! Discutiu na rua é ogra, não discutiu é goiaba!

MM tem noção da roupa que usa. No frio ela usa algo mais tapado, no calor que ela pega a decotadinha. DecotadINHA, nada de fitinhas aleatórias e blusas-cinto. Se ela vai a uma festa ela não usa a roupa da praia e vice-versa. A MM sabe que pode não estar na forma perfeita, mas se não está, ela tapa. Simples assim. E outra, MM não usa shortinho, jaquetão com pele e bota na balada. De jeito algum! MM é coerente.



E por último e mais importante:


MM sonha em casar, ter filhos, morar uma casinha com cerquinha branca e ter cachorros. MM sonha com o príncipe encantado e sempre acha que o da vez é pra sempre. MM adora carinho e adora ser mimada (lembrando que o saco é ser mimada(o) pelo cara (ou menina) errado(a), não o fato da “mimação” em si).



E sim, MM sempre junta os sobrenomes pra ver se “vai ficar bonitinho”.


MM com MQEM. Tem dúvida?